Tempestade–nuvens negras–temporal

Tempestade–nuvens negras–temporal, foi o que presenciei, e vivi horrores, naquela noite, quando o tempo mudou e veio a tempestade.

Tempestade, o céu se fecha em nuvens negras, tudo indicava um temporal.

As nuvens negras tomam todo o céu, sobrepondo seu tom escuro a tudo, anunciando um temporal.

Faz do dia uma noite de terror, a primeira vista são só os fortes ventos bem como alguns trovões são os senais.

Já conheço os resultados de um céu assim, e sinal de Tempestade–nuvens negras–temporal

Aconteceu no ano passado.

Foi no ano que se passou que me vi em momentos do mais completo desespero por conta de uma Tempestade–nuvens negras–temporal

Era noite no dia, nuvens negras se espalhavam por todo o céu, uma Tempestade–nuvens negras–temporal, estava por vim.

Eu estava em casa sozinho, ainda bem que minha mulher e filhos estavam bem longe.

Deus os tirou de perto de mim a princípio para poupá-los de passarem por terríveis momentos.

Nossa casa ficava na parte alta em um morro de seis ruas transversais, ela ficava na terceira rua de baixo para cima.

Estávamos morando ali a pouco tempo, transferido de uma cidade para outra pela empresa que trabalhava.

Fazia três meses que ali residia e nada sabia de antemão sobre as consequências de temporais sobre a quelê lugar.

Começou de mansinho

Tempestade, o céu se fecha em nuvens negras, tudo indicava um temporal.

A chuva começou de mansinho e gradualmente foi aumentando da janela de minha sala eu corria meus olhos em toda direção.

A princípio era assustador o barulho dos trovões.

Assustadora a claridade dos raios que eram disparados através da tormenta com relâmpagos.

Uma Tempestade–nuvens negras–temporal se aproximava, parecia que seria uma tormente assustadora.

A todo instante disparavam raios, como se o céu estivesse em guerra com a terra.

Foram mais de horas de forte chuva, um pé-d’água que começou de mansinho ouve uma pausa, um tempo para que todos se recuperassem do susto,

Mais este tempo durou pouco, foram poucos minutos para a chuva começar com mais força, era uma Tempestade–nuvens negras–temporal que disparava sobre todos nos.

Tempestade – nuvens negra – temporal

Tempestade, nuvens negras, um temporal

A tempestade parecia ter dobrado de intensidade, o barulho dos troves, com a claridade dos raios davam para deixar todos assustados, apavorados com a chuva.

Era assustador o cenário misturando aos sons, graças a Deus que minha família não estava passando por tamanha tormenta.

Da janela eu continuava a contemplar o acender e apagar das luzes que clareavam tudo.

As casas da parte baixa que sofriam mais, pois toda a água dos morros em volta escorregava em direção a elas.

De repente ouve um estrondo, a princípio parecia um forte trovão.

Era como se algo houvesse caído do céu, e se chocado com o chão, um aguaceiro, uma bátega.

A primeira vista pensei ter sido um forte trovão mais forte que os outros.

Meus olhos através da janela percorreram ligeiro tentando enxergar através da escuridão o que estava acontecendo la fora.

Só enxerguei destruição

Tempestade–nuvens negras–temporal, foi apavorante quando deparei com um cenário de destruição, uma imensidão de água que descia pelos morros arrastando tudo.

Era apavorante o que meus olhos estavam presenciando, e se tornava mais apavorante pela maneira que me eram reveladas as imagens, por meio de pequenos momentos de claridade que os raios permitiam minha visão, por conta da Tempestade–nuvens negras–temporal.

Casa sendo arrastadas uns sobres as outras, descendo morro a baixo, passando a cima de tudo, carregando tudo a sua frente.

Fui tomado a princípio por um desespero misturado ao sentimento de pavor e medo.

Medo de me ver sendo carregado, principalmente ver minha casa sendo levada comigo dentro.

A primeira vista tentei me controlar, porém, imaginando o sofrimento de todas as que lãs pessoas sendo carregadas dentro de suas casas sem uma chance de lutar por suas vidas.

Me senti frustrado dentro de meu pavor, fechei os olhos, não queria ver, não queria mais olhar atreves do vidro da janela, fechei minha janela.

Em meu desespero

Deixei meu corpo cair sobre a poltrona, a princípio chorei, chorei por todas as que lãs vidas carregadas, arrastadas por água e lamas.

Lamas que carregavam tudo que estivesse em seu caminho, como se estivesse se vingando de tudo de todos.

Fez se silêncio, a chuva parou, pararam-se os barulhos.

Uma paz se fez no tempo como se ele, o tempo causador de tantas mudanças e envolvido em tamanha tragédia, a princípio se arrependesse de tudo e em homenagem aos sacrificados por sua ação de rebeldia, fez se silêncio, trazendo uma sensação de paz por alguns momentos.

Deixei o interior de minha casa, ao abri minha porta me deparei com um cenário de tamanha destruição.

Não havia sobrado nada por onde a água e a lama passou.

Não havia mais as casas e nem as pessoas, morro a cima e nem morro abaixo, não havia nada a não ser lama, muita lama.

Poucos vestígios de que antes ali era um lugar sobre tudo povoado de pessoas em suas casas com seus animais, suas plantas e suas histórias de vida.

Já se passaram um ano deste trágico acontecimento, contudo as lembranças sempre se fazem presente quando olho para o céu e o vejo como hoje está carregado de nuvens negras.

Tempestade–nuvens negras–temporal

Tempestade destruição

Vejo a Tempestade–nuvens negras–temporal, assim como na que lê trágico dia que vivi e presenciei de dentro de minha casa.

O céu carregado em nuvens negras que cobrem todo o céu azul, já conheço este senário.

Dês de já espero por uma tempestade.

Já conheço os resultados de um céu assim, foi no ano que se passou que me vi em momentos do mais completo pavor.

Desta vez não estou só toda minha família está comigo, me preocupo com os resultados destas nuvens.

Sei que dificilmente serei atingido, minha casa não está na rota das águas, da tempestade, mas não gostaria de viver novamente parte alguma dá queles momentos.

Não gostaria de passar por tudo que passei, pelos horrores que vivi, principalmente tendo minha família a meu lado.

Gostaria de poder poupá-los mais como antes toda mudança no tempo a, só me resta pedir a Deus uma chuva sem toda a brutalidade do tempo.

Tempo que acima de tudo quando irado não se importa com nada fica cego e passa por cima de tudo.

Destruindo, arrastando vidas, mudando histórias.

Que Deus nos proteja a todos desta Tempestade–nuvens negras–temporal

Jorge Soares


Continue lendo // Triste Minha Solidão

error: O conteúdo está protegido !!