Palavras // Poemas

Palavras // Poemas

Palavras // Poemas

Amor e poesias // Em Prosa E Versos 

Palavras Poemas De Amor

i

Não Saber Escrever Corretamente Não Considero Uma Vergonha Mais Sim Falta De Conhecimento. Ter O Conhecimento E Não Saber O Que Escrever Não Considero Uma Vergonha Mais Sim Falta De Inspiração. // Jorge Soares

 

Me sentindo novamente Mulher

Me sentindo novamente mulher

 

 

Eu me sentia tão só acordei assim precisava sair fazer alguma coisa conhecer alguém, a muito que não me sentia assim como estava me sentindo solitária,deprimida. Um namorado preciso de um namorado pensei e falei em voz alta tão alta que ate os vizinhos devem ter ouvido.
Eu já estava só há algum tempo precisamente há oito meses jurara não me em volver mais com homem algum, meu ultimo namorado foi um relacionamento serio onde me entreguei de coração, pois me sentia apaixonada, eu estava apaixonada tive a certeza quando flagrei ele aos beijos com uma amiga que não era amiga mais se dizia minha amiga, sofri muito por conta do que vi entre eles foi um golpe duplo perdi uma amiga e o namorado ao mesmo tempo, no mesmo momento, pois minha decisão foi na hora, sem refletir sem tentar arrumar uma desculpa para o que os dois estavam fazendo comigo, não podia dar ouvidos a meu coração, por ele fingiria não ter visto, pois eles não tinham me visto, mais meus olhos ignorou meu coração isolando-o do sentimento amor e o deixando experimentar do sentimento inverso.

Amigos não contribuem para o sofrimento do outro, rompi com ela e me afastei de todas as outras amigas, perdi a confiança nas amizades femininas.
Foi um baque duríssimo o que sofri me senti tão pra baixo que preferi me isolar de tudo de todos, já faz oito meses que vivo do trabalho pra casa da casa pro trabalho, me isolei de todos ate mesmo dos amigos do trabalho, homens passei a manter distância de todos eles ate mesmo dos amigos mais próximos

Minha vida passou a ser vivida dessa forma trabalho, trabalho, casa, casa, as amigas ligavam mais não atendia os amigos convidavam para sair eu não aceitava recusava todos os convites, a ferida era grande muito recente e doía por demais precisava de um tempo para silicatizá-la precisava de um tempo para esquecer mais o tempo de isolamento não estava me fazendo bem no inicio ainda carregada de magoas e ressentimentos não tive dificuldades para viver no isolamento mais com o passar do tempo meu corpo começou a reagir, sentir a falta de carinho o toque de mãos masculinas, só de pensar um imenso calor se apoderava de meu corpo, minhas pernas tremiam meus seios ansiavam por serem tocados eu passei a ser envolvida todas as noites e as vezes ate durante o dia por uma forte tesão que dominava meu corpo e incitava minha cabeça a pensar em homem.

O sentimento de solidão me fez agir no sentido de sair me divertir, acho que meu tratamento estava no fim e eu já estava curada, pois meu corpo pedia por carinhos minha boca por beijos acordei assim com desejos de ser tocada acariciada por mãos masculinas, precisava sair e procurar por alguém, um desconhecido alguém para passar alguns momentos e nada mais. Não desejava mais me envolver, foram momentos difíceis os que passei, precisava de um homem para apagar meu fogo, somente para isso nada de envolvimento, uma noite de amor e nada mais.

Tomei um banho me vestir, coloquei um perfume e fui a luta, não liguei para conseguir Campânia queria estar sozinha, entrei no primeiro ônibus que parou no ponto não tinha destino só uma desejo conhecer alguém que me fizesse feliz por um dia somente na quele sábado, por uma noite em uma cama com um estranho, me entregar totalmente aos meus desejos e aos desejos dele sem pudor sem não quero isso, não faço isso seria minha noite de puta eu merecia sentir de todos os prazeres que o sexo podia me oferecer. Eu me sentia diferente com pensamentos ousados , com desejos pervertidos precisava ter sorte de encontrar alguém se sentindo assim como eu a procura de uma mulher carregado de desejo com pensamentos pervertidos , desejos ousados.

 

O ônibus me levou pra longe de meu bairro, depois de um bom tempo chegamos ao ponto final, não conhecia o lugar , mais era o local ideal pro meu proposito desci do ônibus , olhei pra todos os lados, pra todas as direções alguns bares com varias messas ocupadas , perguntei ao motorista o que tinha de divertimento além dos bares, ele me falou de um clube que tinha em uma rua no final da que eu estava la eu encontraria boa musica se fosse isso que eu procurava, disse a ele que sim. Caminhei em direção ao final da rua vi um pequeno movimento um pouco mais distante de onde eu estava e deduzir que era la o lugar indicado pelo motorista. Ainda era cedo pra que as portas fossem abertas e já tinha uma quantidade boa de pessoas esperando pra entrar, do outo lado da rua em um barzinho bem em frente ao cubre algumas pessoas bebiam em quanto esperavam a hora de entrar.

 

Caminhei em direção ao bar andar me deu cedi, tinha um espaço no balcão me encostei ali e pedir uma cerveja juntamente com uma dose de Martine minha bebida preferida depois da cerveja. O espaço não era muito grande mais as pessoas se ajeitavam parecia se conhecerem e deveriam mesmo se conhecer provavelmente estavam ali todos os sábados e outros dias de funcionamento do clube. Minha cerveja já estava no fim quando ouvi uma voz bem atrás de mim que me perguntou e a primeira vez aqui não é. Olhei pra traz e me deparei com um homem alto bem vestido e simpático, muito simpático, lhe dei um sorriso e lhe respondi que sim, me ofereceu pagar uma cerveja que aceitei prontamente afinal meu proposito ali era conhecer alguém e esse alguém podia perfeitamente ser aquele que acabava de me dirigir a palavra.

 

Tomamos juntos a cerveja que foi colocada sobre o balcão e durante o tempo que levamos para esvaziar a garrafa procuramos nos conhecer lhe falei meu nome ele me disse o dele que se chamava Carlos, lhe perguntei se era comprometido com alguém lhe disse que não queria ser agredida por alguma mulher a que ele tivesse algum tipo de compromisso. Me tranquilizou dizendo que era um homem livre, nem eu mesma me entendi, meu proposito ali era me divertir e voltar pro meu mundinho, por conta que importância tinha se o cara fosse casado ou não seria uma única vez esse era meu proposito na quele dia uma noite de amor com um estranho o estranho eu já tinha só faltava criar o clima para a noite de amor. A porta do clube foi aberta e as pessoas ali presentes começaram a entrar por fim fomos os últimos a deixar o bar e juntos entramos no clube.

 

Carlos era muito popular deveria ser um frequentador ativo, pois por traz do balcão todos lhe conheciam enquanto as bebidas só eram servidas com a compra das fichas Carlos era atendido sem precisar adquirir fichas. Conversamos, dançamos, bebemos ate que me deu vontade de ir ao banheiro ele fez questão de me levar ate a porta do banheiro e falou que iria me esperar ali , entrei e ocupai um a das portas ai ouvi uma conversa entre duas mulheres na porta ao lado, ouvi quando uma falou pra outra viu a garota que Carlos esta si bonita sera que já se conhecem a algum tempo a outra respondeu acredito que não, Carlos e um mulherengo não pode ver uma mulher diferente que cai em sima esta e mais uma que vai tentar levar pra cama e venhamos minha amiga na cama o cara e muito bom. Pensei estou com sorte conheci um cara bom de cama era o que eu procurava e pelo que as meninas falaram Carlos e o cara. Bebemos dançamos e eu fiquei na espera do convite pra deixar o lugar e ele veio em quanto dançávamos uma musica bem romântica ele me fez o convite falando baixinho ao meu ouvido. Que tal esticarmos a noite fora daqui, dei um tempinho pra responder e lhe disse só se for agora.

 

Fiz-me feliz eu maresia foram oito meses de afastamento total amargando dias e noites me sentindo feia enjeitada um sentimento que dói profundamente.
Amanheci feliz cheia de vida foi um dia e uma noite que pascei com Carlos como fui beijada acariciada amada, foi muito bom ter dividido uma cama com um homem como Carlos sem compromisso sem medo de não agradar conduzindo e deixando ser conduzido onde cada um deu o máximo de si fazendo da cama sua outra metade sem nada a esconder sem nada a omitir, dando e recebendo acordei cansada exausta mais feliz , não fiz barulho coloquei minhas roupas dei um jeito no cabelo e deixei o quarto sem rastros assim como eu queria que fosse, como havia determinado ao sair de casa.
Eu me senti livre nos braços da quele desconhecido que me proporcionou todos os momentos desejados, amei e fui amada deixei que usasse de meu corpo da maneira que ele desejasse assim como me deixou usar do dele em minhas fantasias sexuais, foi uma noite inesquecível uma única noite quando Carlos me fez me sentir novamente mulher.

 

Jorge Soares

Caro visitante grato pela visita Se gostou do que encontrou por favor curta e compartilhe outras pessoas podem também gostar.

Palavras  // Poemas

gallery/d07c23cc9b3514ab755151371b0538d0

Amor e poesias // Em Prosa E Versos 

Pequenas Histórias

 

Contando histórias  aqui eu Jorge Soares conto pequenos contos, pequenas histórias nada muito grande que desanime você de ler.

 


contador de visitas online

Criando Fazendo Arte

Artesanatos

Produtos Criativos um clik e vá a loja

Minhas Frases