Palavras // Poemas

Amor e Poesias // Em Prosa E versos 
gallery/pict01
gallery/pict01
Palavras // Poemas

Amor e Poesias // Em Prosa e Versos

Palavras // Poemas 

https://farm6.staticflickr.com/5649/21134565078_418264686f_h

Realidade

 

Acordei e me vi diante de

uma realidade que não

era a de quando me deitei

para dormir.   Estranhei

quando ainda numa

madorna levei meu braço direito para tocar teu corpo e só encontrei um vazio, abri meus olhos e não a enxerguei, teu espaço na cama estava sem tua presença, pensei, deve ter acordado mais sedo que de costume e resolveu caminhar um pouco, ou quem sabe está na cozinha preparando nosso café, resolveu me fazer uma surpresa, me trazendo na cama o meu desjejum.

 

Pensei, olhei para os lados e pensei, como seria minha vida sem a presença de Clarice em minha vida, um amor de infância, que cresceu e envelheceu assim como eu, e se tornou tão necessário nos meus dias e noites, como o ar que respiro.

  Não saberia como seguir sem tela do meu lado, alegrando meus momentos, vigiando minha falta de organização, meu jeito bagunceiro de lidar com as coisas dentro de casa, sempre me policiando, Francisco não deixe a tampa do vaso sanitário suspensa, Francisco, coloque a tampa da pasta de dentes no lugar dela depois que usar, não jogue sua roupa suja fora do cesto. 

 

 Confesso sempre fui um bagunceiro, quando criança minha mãe vivia me cobrando e me castigando pela desobediência constante, de nada adiantou, me casei, hoje e minha esposa quem faz as cobranças, e junto as ameaças de me deixar, Este pensamento me assustou, será que ela decidiu cumprir sua promessa, será que se foi.  Não, não faria isto comigo, sei que me ama, que estas pequenas falhas minhas, não seria motivo pra tal atitude.

 

 chamei por seu nome, uma, duas, três vezes e nada ela não estava em casa, me levantei já sentindo um aperto no coração, me dirigir em direção ao armário do quarto onde nossas roupas sempre estiveram juntas, que alivio nada mudou dentro de nosso armário, fui até ao banheiro e lá também estavam todas as nossas coisas.

 

 Não ela não se foi, não iria sem levar pelo menos um pouco de suas coisas. Me senti aliviado com meu pensamento de que ela não iria sem levar suas coisas, na que lê momento não me passou que ela, Clarice era uma mulher decidida, que não seria estas pequenas coisas que em pediriam sua partida, ainda bem que me esqueci deste detalhe.

 

  Foram momentos inquietantes, onde eu andava de um lado ao outro dentro de casa e na cabeça umas infinidades de pensamentos e cada um deles trazia duvidas, incertezas, sobre os momentos em que estava vivendo. Não sabia o que fazer, não conseguia pensar no que fazer, e isto me atormentava, tornando a que lês meus momentos uns dos piores de minha vida.

 

   Sem atitude experimentei do gosto amargo do que e se sentir abandonado e vivi momentos de intenso desespero, onde meu coração se fez em descompasso, sendo massacrado pelos negativos pensamentos.  Fiquei sem atitude, deixei meu corpo arriar sobre uma das poltronas da sala, de meus olhos lagrimas desciam, já me sentia em desespero quando ouvi; amor já acordou, amor o que são estas lagrimas, está se sentido mão, o que foi amor.

 

  Foi grassas a Deus que foi, você está de volta, pensei que estivesse me abandonado.  Que pensamento louco e este querido, não vai se livrar de mim assim tão fácil, acordei mais sedo, não quis lhe acordar, sai para caminhar um pouco e fazer uma horinha pra passar na padaria e pegar uns pãezinhos quentinhos pra nosso café.

 

 Deixe de pensar besteiras, não tenho motivos para lhe deixar e se o tivesse não sairia assim as escondidas. Pronto pode me apertar, pode me beijar, eu deixo e se quiser pode até me levar pra cama, mais seria uma pena, pois os pãezinhos não vão nos esperar e estão tão quentinhos que acho que a cama pode nos esperar, de cá um beijo e vamos pra cozinha em quanto a água ferve podemos namorar.

 

  Ainda bem que não era o que imaginara que fosse, minha imaginação me levou a viver terríveis momentos, tudo por insegurança, foram poucas horas, mais foram terríveis para meu corpo, pra minha mente, meu coração.

 

Graças que sair do caminho do inferno e voltei pra felicidade, minha casa está em paz, a tempestade que eu imaginara que viveria se foi com os pensamentos, me sinto de novo feliz. 

 

 Jorge Soares